23 de set de 2015

Viva


Era uma mistura de sentimentos, muitas vezes sem nome.
Ansiedade pelo futuro, mágoas do passado, incertezas do presente.
Pessoas que já não via há muito tempo passaram a ser apenas lembranças de rostos sem vozes (que já não se lembrava mais).
Sentimentos vazios por elas. Tristeza não. Talvez pena, preocupação ou indiferença mesmo. Você mudou e algumas dessas pessoas ficaram para trás.
Pessoas com olhares vagos tentando provar serem o que não são. Pessoas que não possuem coragem de arriscar tudo ou agir buscando uma mudança.
O que ganha quem não é capaz de preocupar-se com a própria vida? Que bem faz viver a custa da infelicidade do outro?
Tão bom viver a própria vida e preocupar-se com o que realmente importa. Com o tempo aprendemos a dar valor à isso e não ao que nos faz mal.
Vamos entendendo que os nossos sonhos podem mudar com grande frequência. Prioridades podem trocar de ordem em um piscar de olhos. Criamos gostos distintos do que se estava acostumado.
Tão bom que isso aconteça. Tão bom quando se sabe que mudar a rotina será sempre a coisa mais trabalhosa e corajosa a se fazer.
Tão bom descobrir novos gostos, novos motivos que nos façam sorrir, novos horizontes.
Talvez esse sentimento sem nome não faça sentido agora, talvez nunca fará. Talvez seja apenas uma fase ou talvez seja propício para nosso próprio crescimento. E o único jeito de descobrir isso é continuar vivendo, dia após dia como se fosse o último. Arriscando, mudando tudo de lugar, de novo e de novo, sem nunca deixar o frio na barriga desaparecer.


20 de ago de 2015

Morando sozinho: Como é na vida real

Como o tempo passa rápido! Parece que foi ontem que me mudei de cidade, que tive que aprender a viver sem minha família, que tive que aprender a me virar nos 30 em tudo.

 Vista da janela do meu quarto.

O tempo passou e me provou que sou muito mais esperta do que eu pensava HAHAHAH e me mostrou também o quanto a gente é iludido nessa vida hahahahahaha.

Pensando nisso, fiz uma lista contando o que aprendi morando sozinha nesse 1 ano. Vamos ver se alguém se identifica!

- A pia se enche de louças sujas MUITO rápido, sem você nem perceber como isso aconteceu.
- Em compensação, lavar louça pode ser muito terapêutico (a frase "vai lavar uma pia cheia de louças" nunca fará tanto sentido)
- Alimentos estragam MUITO rápido, MESMO estando na geladeira! Principalmente verduras e frutas. Chega a ser assustador.
- A vida se resume em trabalhar, lavar louça, fazer comida, limpar a casa e dormir.
- Conhecer novos bares e baladas? Que nada! Tudo o que você quer depois de um dia cheio, é a sua cama.
- Você descobre o quanto máquina de lavar roupas é mágica.
- Dobrar lençol de elástico é um dos maiores desafios que existem (de verdade).
- Você passa a se interessar mais por itens de casa do que com roupas ou sapatos.
- Cama é a melhor invenção do mundo depois de passar meses dormindo em um colchão no chão.
- Ser independente é maravilhoso num dia e no outro pode te dar vontade de voltar correndo para a casa dos pais.
- Assim como passar horas enfiada dentro do quarto sozinha pode ser a melhor coisa do mundo como pode também parecer o fundo do poço.
- Delivery é uma das palavras mais lindas que existem e com o tempo você passa a virar amigo dos entregadores a ponto de ir buscar a comida de pijama com o cabelo molhado e sem pentear.
- As vezes você encontra com alguém dentro do elevador do jeito que você foi buscar a comida, o que é um pouco constrangedor apesar da enorme vontade de dar risada que isso causa.
- Você recebe o pagamento em um dia, agenda seus pagamentos e descobre que já está sem dinheiro de novo.
- O celular com músicas passa a ser seu melhor amigo, te acompanhando até no banho.
- O pôr-do-sol visto da janela pode te dar paz.
- Você nunca vai entender como sua mãe lava roupa branca e ela fica BRANCA de verdade.
- Você aprende da pior forma possível o porquê não pode misturar roupa colorida com roupa branca ou roupa preta com roupa clara.
- Você pode colocar erva doce em vez de orégano sem querer no omelete e ficar confuso tentando entender o que aconteceu.
- Você aprende a temperar carne, que é misturando tudo o que tem de tempero na sua casa (e ainda assim sua carne ficará sem gosto as vezes).
- Você estará sempre cansado e com sono.
- A comida da sua mãe passa a ser a coisa que você mais sente falta no mundo.
- Se perder na cidade nova pode ser muito interessante e divertido (principalmente se você tiver com alguém que você gosta).
- Você terá pelo menos um vizinho bizarro, é a lei da vida.
- Você passa a acreditar que sua mãe possui super poderes por conseguir manter a casa limpa todos os dias, o que é completamente impossível morando sozinho.
- Você descobre o quanto ir ao mercado sai caro (e dói o coração).
- E o mais importante: você sabe que se tudo der errado, você terá sua família te acolhendo de volta <3

16 de ago de 2015

O que eu tenho feito nesses últimos meses

Olá pessoal!

Já faz um tempinho que tenho ouvido as pessoas ao meu redor me perguntando do blog, o porquê eu não estou postando e falando que eu deveria voltar.

Andei pensando muito nisso nesses últimos tempos. A verdade é que ando sem tempo e cabeça para criar conteúdos legais, e se for pra postar qualquer coisa, prefiro nem postar.

Estou fazendo esse post para explicar um pouquinho o que eu ando fazendo e o que aconteceu.

No final do ano passado minha vida virou de cabeça pra baixo. Não vou contar detalhes porque se trata da minha vida pessoal. Demorei um tempinho para voltar ao normal, e nesse tempo fui fazendo uma limpeza na minha vida, emocionalmente e fisicamente.

Comecei a viver a vida real e deixar o mundo online um pouco de lado.

Me matriculei na academia e no inglês, o que foi ótimo! Conheci pessoas que vou levar pra vida toda e acabei criando uma nova rotina. E pasmem, ainda continuo indo na academia! hahahaha firme e forte, algumas semanas meio empurrada, outras no foco, e assim vai (o importante é não parar né?). Me orgulho muito em ter conseguido dar um novo sentido pra minha vida.

Conheci muita, mas muita gente legal esse ano! Me aproximei de alguns amigos, fiz novos amigos, deixei de lado coisas desnecessárias e de brinde conheci o amor da minha vida que tem me feito a mulher mais feliz do mundo!

Fez 1 ano que estou morando fora, sim, 1 ano! O tempo tem voado e parece que as responsabilidades só aumentam.

Não é fácil conciliar trabalho, academia, inglês e trabalhos domésticos. Apesar de ser maravilhoso ter a própria independência, as vezes eu acho que não vou conseguir continuar vivendo assim.

Mesmo achando que vou explodir as vezes, no final sempre consigo lidar com essas situações, e assim vou vivendo.

Ando com muitos planos para meu futuro e pretendo correr atrás do que for preciso pra conseguir realizar todos os meus sonhos. Sei que vou passar por momentos difíceis para isso, mas sou assim. O tempo passa, começo a ficar enjoada da mesma rotina, e preciso mudar alguma coisa.

Pensando em tudo isso, resolvi TENTAR voltar a postar no blog. Nem que seja as vezes, só para aliviar as tensões do dia a dia. Aqui é um lugar que sempre me fez muito bem, e fico muito triste quando lembro que acabei abandonando o meu refúgio.

Enfim, esse post é apenas para explicar o meu sumiço. Sei que talvez ninguém se importe, mas isso serve como um desabafo para mim mesma.

Sinto muita saudade das amigas virtuais que fiz por aqui, espero conseguir recuperar o tempo perdido em breve <3

Super beijo,
Bruna

6 de mai de 2015

O amor da forma que deve ser



Era um daqueles sonhos que mais parecia uma cena de filme de comédia romântica ou com o trecho daquele livro água com açúcar. Aquele que apesar de clichê, todo mundo lá no fundo sonha em viver.

Ele a levava pelas mãos, dizendo que era sua alma gêmea. Ele a acolhia como se fosse sua outra metade e todo o resto ficava para trás. Era meio assustador, mas só parecia ser a coisa certa a se fazer naquela hora.

Quando acordou para a vida real se lamentou por ter sido apenas um sonho. Os dias e os meses se passaram e um dia seu mundo virou de ponta cabeça. Ela resolveu tirar proveito da situação e descobriu que do outro lado também dava para se viver. Reaprendeu a andar com os seus próprios pés, passou a entender o real sentido da vida e entendeu que as vezes é preciso misturar todas as peças do quebra-cabeça para encontrar o lugar certo onde cada peça se encaixa.

E em uma noite qualquer, no meio de tanta gente confusa tentando esquecer a realidade, com bebidas nas mãos e olhares vazios, ela o viu. E naquele momento tudo se misturou dentro dela novamente. As peças que estavam montadas e pareciam certas, se bagunçaram novamente. E ela soube que precisava dele para colocar tudo no lugar outra vez.

As vezes nos lugares menos prováveis, em épocas menos viáveis, é onde nos encontramos. E ela o encontrou, e com isso, se encontrou também. E depois disso o tempo fez com que ela enxergasse o que ela temia.

E ela soube, que aquele sonho era real. E ela soube que tudo o que ela precisava estava ali, diante dos olhos dela. De um modo tão leve e verdadeiro que ela apenas soube. E sentia uma paz tão grande. Ele a salvou e a levou pelas mãos para o melhor lugar do mundo onde ela poderia estar. E ela apenas soube que era ele, e que sempre seria.

B.P.